Querendo ver outros blogs meus consultar a Teia dos meus blogs

domingo, 27 de abril de 2008

Menina dos olhos de água

Pedro Barroso nasceu em 1950, estreou-se em público no Zip-Zip em 1969

prémio para a melhor canção de 1987 (Menina dos Olhos d'água),

Menina, em teu peito sinto o Tejo,
E vontades marinheiras de aproar.
Menina, em teus lábios sinto fontes,
De água doce, que corre sem parar.
Menina, em teus olhos vejo espelhos,
E em teus cabelos, nuvens de encantar.
E em teu corpo inteiro sinto feno,
Rijo e tenro que nem sei explicar.

Se houver alguém que não goste
Não gaste, deixe ficar,
Que eu só por mim quero te tanto,
Que não vai haver menina para sobrar.

Aprendi nos 'esteiros' com Soeiro
E aprendi na 'fanga' com Redol
Tenho no rio grande, o mundo inteiro,
E sinto o mundo inteiro no teu colo.

Aprendi a amar a madrugada,
Que desponta em mim quando sorris,
És um rio cheio, de água lavada,
E dás rumo à fragata que escolhi.

Se houver, alguém que não goste
Não gaste, deixe ficar,
Que eu só por mim quero te tanto.
Que não vai, haver menina para sobrar.

Para ver e ouvir clicar>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> aqui

3 comentários:

Maria Ramos disse...

Num tempo de rosas-cinza, com petalas tão duras, que vomitam os próprios espinhos, acalma-me a alma, este sentir de cego, pelos dedos, pela doçura da palavra que permanece inteira na memória. Agradecer é ficar aquem do que se se transmite, é pequenino, familiar, talvez, mas genuino. É fazer sentido, é a certeza dos sentidos guardados em nós. Por isso, aqui, fica o registo, pelo bem que me fez, abrir neste jardim de palavras, este perfeito-amor. Obrigado, por estes momentos felizes

lfm disse...

Comungo os agradecimentos que me não são devidos eu apenas tento reunir neste blog, as coisas que fui ouvindo e como nesse caso e noutros que por ai estão, me ficaram para sempre gravados.

Grato também acima de tudo ao Pedro Barroso (neste caso), pela sua poesia e pela sua voz certo que não merece o esquecimento com que o castigam os (ir)responsáveis

Lfm

Táxi Pluvioso disse...

Estes dois exemplos de dois momentos no tempo meti-os no meu último post. O canditato libertário à presidência dos Estados Unidos, Mike Gravel, (com um resumo bem feito das melhores imagens do nosso evoluído tempo) e os salvadores da balança comercial da Inglaterra, os Beatles.