Querendo ver outros blogs meus consultar a Teia dos meus blogs

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Del Shannon * RUN AWAY *

Unchained Melody-The Diamonds

The Platters and Friends - Legends In Concert

The Diamonds - Little Darling

MARIA BETANIA - ÚLTIMO DESEJO

Um grande letra de Noel Rosa

 Nosso amor que eu não esqueço E que teve o seu começo Numa festa de São João Morre hoje sem foguete Sem retrato e sem bilhete Sem luar, sem violão Perto de você me calo Tudo penso e nada falo Tenho medo de chorar Nunca mais quero o seu beijo Mas meu último desejo Você não pode negar Se alguma pessoa amiga Pedir que você lhe diga Se você me quer ou não Diga que você me adora Que você lamenta e chora A nossa separação Às pessoas que eu detesto Diga sempre que eu não presto Que meu lar é o botequim Que eu arruinei sua vida Que eu não mereço a comida Que você pagou pra mim
 

terça-feira, 6 de maio de 2014

Ibrahim Ferrer - Perfidia

Mujer, 
Si puedes tu con dios hablar,
Pregúntale si yo alguna vez
Te he dejado de adorar.

Y al mar,
Espejo de mi corazón,
Las veces que me ha visto llorar
La perfidia de tu amor...

Te he buscado dondequiera que yo voy,
Y no te puedo hallar,
Para qué quiero otros besos
Si tus labios no me quieren ya besar.

Y tú,
Quien sabe por dónde andarás
Quien sabe qué aventura tendrás
¡qué lejos estás de mí...!

Te he buscado dondequiera que yo voy,
Y no te puedo hallar,
Para qué quiero otros besos
Si tus labios no me quieren ya besar.

Y tú,
Quien sabe por dónde andarás
Quien sabe qué aventura tendrás
¡qué lejos estás de mí...! 

domingo, 30 de março de 2014

Adriano Correia de Oliveira - Fala do Homem Nascido

Um poema de António Gedeão com música de José Niza Venho da terra assombrada Do ventre da minha mãe. Não pretendo roubar nada Nem fazer mal a ninguém. Só quero o que me é devido Por me trazerem aqui. Que eu nem sequer fui ouvido No acto de que nasci. Trago boca pra comer E olhos pra desejar. Tenho pressa de viver Que a vida é água a correr. Tenho pressa de viver Que a vida é água a correr. Venho do fundo do tempo Não tenho tempo a perder. INSTRUMENTAL Minha barca aparelhada Solta o pano rumo ao Norte. Meu desejo é passaporte Para a fronteira fechada. Não há ventos que não prestem Nem marés que não convenham. Nem forças que me molestem Correntes que me detenham. Quero eu e a natureza Que a natureza sou eu. E as forças da natureza Nunca ninguém as venceu. INSTRUMENTAL Com licença! Com licença! Que a barca se fez ao mar. Não há poder que me vença Mesmo morto hei-de passar. Não há poder que me vença Mesmo morto hei-de passar. Com licença! Com licença! Com rumo à estrela polar. INSTRUMENTAL Venho da terra assombrada Do ventre da minha mãe. Não pretendo roubar nada Nem fazer mal a ninguém. Só quero o que me é devido por me trazerem aqui. Que eu nem sequer fui ouvido No acto de que nasci.

Zeca Afonso-Ao Vivo no Coliseu 1983

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

JOSE MARIO BRANCO-concerto no coliseu

ADRIANO CORREIA DE OLIVEIRA - CANTAR DE EMIGRAÇÃO




Este parte, aquele parte
e todos, todos se vão
Galiza ficas sem homens
que possam cortar teu pão
Tens em troca
órfãos e órfãs
tens campos de solidão
tens mães que não têm filhos
filhos que não têm pai
Coração
que tens e sofre
longas ausências mortais
viúvas de vivos mortos
que ninguém consolará

Cliff Richard & The Shadows-Belgium in 1964

Joan Baez-Concerto em 1977

Roberto Carlos: 50 Anos De Carreira No Maracanã

sábado, 11 de janeiro de 2014

Dos Gardenias


Dos gardenias para ti
Con ellas quiero decir
Te quiero, te adoro, mi vida.
Ponles toda tu atencion
Porque son tu corazon y el mio.

Dos gardenias para ti
Que tendran todo el calor de un beso
De esos que te di
Y que jamas encontraras
En el calor de otro querer.

A tu lado viviran y te hablaran
Como cuando estas conmigo
Y hasta creeras
Que te diran te quiero.

Pero si un atardecer
Las gardenias de mi amor se mueren
Es porque han adivinado
Que tu amor se ha marchitado
Porque existe otro querer.

Dos gardenias...para tí.