Querendo ver outros blogs meus consultar a Teia dos meus blogs

quarta-feira, 6 de junho de 2007

Manhã de Carnaval


Difícil deduzir que a tímida Nara Loffego Leão, estava destinada a registar seu nome na história da MPB como a intérprete que abriu caminhos para Chico Buarque, Martinho da Vila, Edu Lobo, Paulinho da Viola e Fagner, entre outros, e, é claro, como a eterna musa da Bossa Nova.

O título que a acompanhou por toda vida foi adquirido nos tempos em que o apartamento dos seus pais na Av. Atlântica era o ponto de encontro dos meninos que criavam "sambas modernos".
Nara entregou-se de corpo, alma a iniciante Bossa Nova, mas surpreendeu ao interpretar sambistas esquecidos no seu disco de estreia. No segundo trabalho, apostou tudo nas canções de protesto.
A partir daí, popularizou-se como a mulher corajosa, diva do Show Opinião e ícone da juventude brasileira engajada contra a ditadura nos anos 60. E, não satisfeita, ainda teve tempo de participar do divino Tropicalismo de Caetano e Gil!

Após passar três anos em Paris, refugiou-se dos holofotes. Cuidou de sua vida particular, estudou Psicologia na PUC, e só voltou à carreira quando se viu doente e sem possibilidades de estudar.

Nos últimos anos, levou ao mundo a Bossa Nova em sua voz doce e emocionada. Quando morreu, na manhã de 7 de Junho de 1989, deixou pronto um disco de versões dos clássicos americanos que embalaram sua adolescência nos musicais exibidos pelo Cinema Metro Copacabana. A capricorniana nascida em 19 de janeiro de 1942 em Vitória, nos deixou aos 47 anos com marca registrada de seu signo: o retorno à juventude, fechando o ciclo da vida

Manhã tão bonita manhã
na vida uma nova canção
Cantando só teus olhos
teu riso e tuas mãos
pois há de haver um dia
em que virás
Das cordas do meu violão
que só teu amor procurou
vem uma voz
falar dos beijos
perdidos nos lábios teus
Manhã tão bonita manhã
na vida uma nova canção
Cantando só teus olhos
teu riso e tuas mãos
pois há de haver um dia
em que virás
Das cordas do meu violão
que só teu amor procurou
Canta o meu coração
alegria voltou, tão feliz
a manhã deste amor

Caso não consiga ver o video clicar >>>>>>>>>> aqui





Um comentário:

marta disse...

Vi-a no Teatro villaret quando veio a acompanhar Vinivius de Moraes e Tom Jobim.
Bem novinha, eu.