Querendo ver outros blogs meus consultar a Teia dos meus blogs

quarta-feira, 30 de março de 2011

Por la mar chica del puerto

Mayte Martín nasceu em Barcelona a 19 de abril de 1965 É uma cantora de Flamenco e de boleros e é amplamente reconhecida como uma das vozes mais importante de sua geração

Por la mar chica del puerto
andan buscando los buzos
la llave de mis recuerdos.

(Se le ha borrado a la arena
la huella del pie descalzo
pero le queda la pena.

Y eso no puede borrarlo.)

Por la mar chica del puerto
el agua que era antes clara
se está cansando de serlo.

(A la sombra de una barca
me quiero tumbar un día;
echarme todo a la espalda
y soñar con la alegría.)

Por la mar chica del puerto
el agua se pone triste
con mi naufragio por dentro.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Baila comigo( hasta el fm del amor)

Petra Batalla é uma cantora mexicano-americana nascida em Los Angeles

Seu pai era um músico A primeira vez que ganhou a atenção internacional como cantora de apoio para Leonard Cohen , que mais tarde incentivou Perla a seguir uma carreira a solo.

Os críticos adoraram, chamando-a de cantar "sublime" e de seu talento "deslumbrante".

. Como muitos artistas originais hoje, Perla optou por ser independente, lançando seu segundo álbum, "mestiça", em 1998, com seu próprio selo musical Mechuda.

Como intérprete respeitada da música de Leonard Cohen, Batalla entrou numa série de concertos inspirados nas suas composições como é o caso deste Baila comigo( hasta el fm del amor)



video

domingo, 13 de março de 2011

Apelo

Ah, meu amor não vás embora
Vê a vida como chora, vê que triste esta canção
Não, eu te peço, não te ausentes
Pois a dor que agora sentes, só se esquece no perdão
Ah, minha amada me perdoa
Pois embora ainda te doa a tristeza que causei
Eu te suplico não destruas tantas coisas que são tuas
Por um mal que eu já paguei

Ah, minha amada, se soubesses
Da tristeza que há nas preces
Que a chorar te faço eu
Se tu soubesses num momento todo arrependimento
Como tudo entristeceu
Se tu soubesses como é triste
Perceber que tu partiste
Sem sequer dizer adeus

Ah, meu amor tu voltarias
E de novo cairias
A chorar nos braços meus


quinta-feira, 10 de março de 2011

Quando pienso en ti

Cuando pienso en tí..
recuerdo que contigo..
conocí el amor..
me sangran las heridas..
que dejó, que haré sin tí..
Cuando te perdí..
buscaba en mi almohada..
siempre tu calor..
me ahogaba muy adentro este dolor..
dónde estás mi amor..
Cuando pienso en tí..
tu cuerpo en mi cuerpo..
vuelvo yo a sentir..
cuando pienso en tí..
recuerdo aquellas noches..
sin fin, sin fin..
Cuando pienso en tí..
me aferro a este dolor..
que siempre vive en mí..
Cuando pienso en tí..
recuerdo a ese hombre que yo fuí..
que yo te dí..
Cuando pienso en tí..
me envuelve la tristeza..
de un presente gris..
me abrazo a la nostalgia..
porque así soy felíz..
estás en mí..

quinta-feira, 3 de março de 2011

Rosa de Hiroshima

O poema é de Vinicius de Morais as vozes nem precisam de apresentações Ney Matogrosso e Simone Bettencourt de Oliveira

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada